FÉLIX CHAVES
TUDO VALE A PENA, SE A ALMA NÃO É PEQUENA
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

DESABAFO.
    CHEGA SOU INOCENTE.
    Não suporto mais carregar  a culpa de uma ação que ocorre independente de minha vontade.
     Eu realmente tenho esse poder devastador.  Tenho a capacidade que me foi dada há séculos pelos Deuses do Olimpo, para desempenhar uma função benéfica à raça humana. Minha missão é proporcionar conforto, luz e calor para afastar o frio de invernos rigorosos.
     Como sempre, o Homem em sua ganância,  deturpou tudo o que foi  pactuado, vêm me utilizando como uma arma mortal e devastadora de sua própria casa.
      Destruindo suas reservas , como se fosse auto suficiente , não dependesse mais de extrair da terra sua  subsistência ou precisasse uma única vez de seus nutrientes.
     Que culpa tenho  desse ato irracional?
    Por que nas notícias sempre aparecem  meu nome em primeiro lugar ?
    " O fogo está destruindo a mata Atlântica ". O correto seria dizer o Homem, esse destruidor, está agindo criminalmente.
      Será  complô contra mim?
      Todos esses anos só fiz ajudar.
       Se agi errado, se destruí, se causei impacto negativo nesse planeta,  me declaro inocente diante desse tribunal de cartas marcadas, protagonizado pelo ser humano.
      A minha revolta já está sendo ouvida pelos Senhores da Natureza.   Em resposta   ao meu   protesto, vêm demostrando sua ira em  ações  que  o ser   aprendeu chamar calamidades.
     Realmente esses atos trazem a marca de não diferenciarem culpados e inocente.
     Todos pagam.
      Quem sabe assim, desperta o sentimento de culpa na cabeça do homem, passando a ter mais RACIONALIDADE em relação às  práticas feitas contra seu planeta,  sua morada.
      Será que ele pensa que vai haver outra chance?
      Ledo engano.
      É um ser passível  de pena.
Felix Chaves
Enviado por Felix Chaves em 12/09/2017
Alterado em 27/10/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras