FÉLIX CHAVES
TUDO VALE A PENA, SE A ALMA NÃO É PEQUENA
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

A CAMPANHA POLITICA DE MANOEL PARAFUSO.
   Naquela cidade, população pequena, a vida de cada um era um livro aberto. Todos sabiam do que se passava com todos. A "fuchicagem" como chamava os moradores era um hábito natural.
   No período eleitoral, com as campanhas dos candidatos, as coisas esquentavam.
   Foi em um cenário desse tipo que Manoel Parafuso, há pouco tempo morador local, resolveu disputar uma vaga para a Prefeitura. Ele já tinha uma certa má fama de caloteiro, agiota e outros predicados do gênero.
   E começaram as campanhas, comícios e discursos pela cidade e povoados. Em um desses comícios, Manoel Parafuso em sua verborréia peculiar bradava: " vocês estão diante do candidato mais honesto, dessa terra" todos aplaudiam.
Mas Celestino gritou do meio da multidão: " conversa fiada, você já me deu cano uma vez". Silêncio total. Manoel esperto não perdeu o lugar: " sim meu amigo, bem lembrado, já lhe dei cano, hidrômetro, torneiras, pias e até telhas. Só estou esperando o seu voto pra me eleger Prefeito e terminar sua obra".
   Ah! Manoel político de primeira.
Felix Chaves
Enviado por Felix Chaves em 01/05/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras